Marianna Machado lança Coisas Bonitas no Teatro Café Pequeno

Marianna Machado lança

Coisas Bonitas no Rio de Janeiro 

Marianna Machado lança seu primeiro álbum Coisas Bonitas, dia 7 de novembro, no Teatro Café Pequeno.

Imagem

A cantora e compositora mostra no palco a sua voz bem treinada, emoldurando seu som plural, que agrega baladas românticas, MPB dançante, elementos afro e influências do Nordeste. No show, além do repertório do CD, há também algumas novas versões, de Gilberto Gil, Gonzagão e Olodum.

Uma cantora, três cidades, quatro elementos. É assim, plural, que Marianna Machado aparece com este “Coisas Bonitas”. A moça nascida em Macaé, que se divide entre a cidade do interior fluminense e as grandes Rio de Janeiro e Niterói, traz toda essa variedade em seu som, produzido pelo experiente Rodrigo Campello, que ainda se responsabiliza por instrumentos diversos, como guitarra, baixo, violões, programações, sempre com precisão, sabendo economizar quando é necessário, valorizando a voz bem treinada de Marianna e, principalmente, as canções.

A cantora  diz que não houve um conceito inicial que norteasse a produção do disco.

— Fomos reunindo as músicas, tendo como fio condutor apenas a qualidade do repertório — conta ela. — Quando estávamos com a maior parte  decidida, vimos como era forte nelas a presença dos quatro elementos, o fogo, a terra, a água e o ar.

“Cabeça D’água”, de Marco Jabu — revelação de cuja produção Marianna usa e abusa no disco — abre o disco, em uma levada de MPB moderna, dançante, um arranjo de sopros sofisticado na medida certa, sem exageros ou malabarismos, a música pela música. O ecletismo de Marianna começa a aparecer em “Luz no Estio”, que vem em seguida, trazendo a “Coisas Bonitas”  uma vibe nordestina, conduzida pela sanfona de Marcelo Caldi sobre uma batida lenta e uma letra romântica, da própria Marianna, que arrisca suas composições:  “E agora que eu sou eu/ Teu calor aqueceu/ Meu Corpo/ Minh’alma/ Pele nua/ Beijo teu”. Nada mau… A modernidade das batidas dançantes e programações dá lugar a um clima de Beco das Garrafas em “Deus da Saudade/Céu e Mar”, uma dupla de melodia delicada, que exige (e consegue) alto da interpretação de Marianna, emoldurada pela bateria leve de Marcelo Wig, na escovinha, com um arranjo seco e elegante de Campello. A cantora  dosa a emoção, rebuscando um toque melancólico na melodia. “A Vela e a Chama” mantém o ouvinte no clima aconchegante, lento. Com o fogo como elemento em destaque, a composição de Suely Mesquita (professora, mentora e grande amiga de Marianna, que faz sempre questão de lembrar a importância da mestra) e Eugenio Dale traz mais uma vez o violão e a bateria sem firulas de Campello e Wig, perfumados pelos teclados de Sasha Amback.

Ficha Tecnica:

Direção geral – Suely Mesquita
Direção musical – Eugenio Dale

Bateria e percussão – Rodrigo Pacato
Baixo e vocal – Sidão Santos

Violao, guitarra e vocal – Eugenio Dale

Serviço Marianna Machado

Show Coisas Bonitas.

Teatro Café Pequeno

Data: 07 de novembro de 2013

Horário: 20h

Ingressos:20,00 (inteira)

10,00 (meia e lista amiga)

Av Ataulfo de Paiva, 269

Tel: (21) 2294-4480

menores de 18 anos somente acompanhados dos responsáveis

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: