Renata Gebara no Café Pequeno > Apenas dois shows às quartas!

Imagem

Entre o samba e a bossa, arranjos modernos de Donatinho repaginam ‘lados B’ da música brasileira em CD produzido por Alexandre Castilho e editado via selo Lab 344
Segundo disco de Renata Gebara, Caixa de Música expande a produção nacional do selo Lab 344, em fina sintonia com a modernidade que caracteriza o catálogo habitualmente licenciado pelo selo diretamente das melhores fontes da cena indie estrangeira. Produzido por Gebara com Alexandre Castilho, Caixa de Música embala relíquias do cancioneiro brasileiro de forma arejada. O frescor vem tanto do canto suave da cantora carioca quanto dos arranjos do tecladista Donatinho, motes deste disco que esbanja leveza entre o samba e a bossa, com toques de jazz, latinidade, pop dos anos 80 e música eletrônica. Fervido em fogo brando, o caldeirão de referências resulta saboroso e esse êxito deve ser creditado também ao mestre-cuca Alexandre Castilho, que soube juntar e harmonizar todos esses ingredientes na feitura e também na pós-produção do CD. Caixa de Música é um disco com a cara de seu tempo e desta cantora que deu seus primeiros passos no mercado fonográfico em 2003 com a edição de CD independente, Todos os Pedaços São Seus, e que começou a achar seu caminho ao armar a partir de 2005 sua Roda de Jazz á Brasileira, show de grande receptividade em que Gebara mistura samba, jazz e bossa nova.

Das 10 joias de Caixa de Música, oito são de (alto) quilate nacional e duas são puro ouro do cancioneiro estrangeiro, o atemporal (Stormy Weather, standard de 1933, desde sempre revisitado) e o atual (Walking on a Dream, sucesso emplacado em 2008 pelo duo australiano de synthpop Empire of the Sun). “Eu me sinto à vontade cantando em inglês e queria misturar no disco músicas em inglês e em português”, situa Gebara, cantora habituada a exercitar a liberdade proposta pelo jazz.

A liberdade estética de Caixa de Música ignora rótulos e fronteiras musicais em nome de um som de tonalidade contemporânea e universal. Única faixa produzida e arranjada por Plínio Profeta, outro nome de ponta da atual música brasileira, Fossamba (Fernando de Oliveira e Rosa Passos) já dá o tom arejado do disco ao abri-lo com a releitura dessa música lançada por Rosa em 1979, em seu primeiro álbum, Recriação. Nessa faixa de abertura, pontuada pelo trompete de Jessé Sadoc, de cara fica evidente o suingue de Donatinho (“um parceiraço musical” na definição afetiva da amiga Gebara). Um balanço tão personalíssimo quanto reverente à levada latina do piano e da obra de seu pai, um certo João Donato. Fossamba foi preciosa sugestão de Sarah Frisby, DJ canadense que é conhecedora profunda da música brasileira e, por sorte de Gebara, é também amiga da cantora carioca.

Na sequência de Fossamba, a cuíca do percussionista Pretinho da Serrinha introduz Planeta Vênus (Pepeu Gomes, Baby Consuelo e Riroca Gomes), música lançada por Pepeu em seu álbum Um Raio Laser (1982). No registro de Gebara, Planeta Vênus gira suave no ritmo do samba contemporâneo em arranjo assinado pela cantora com Pretinho e Marco Vasconcellos. Embasados pela percussão minimalista de Pretinho, os teclados de Donatinho se harmonizam com o violão de Marco em atmosfera de envolvente leveza.

Egressa de outra galáxia musical, Olha Eu Aqui Oh Oh Oh (Jon Lemos e Roberto Correa) – delícia pop lançada por Evinha em seu álbum pós-Jovem Guarda Eva (1974) – também sintoniza a leveza contemporânea que pauta o disco, ainda que o arranjo de Donatinho transporte a música para o planeta tecnopop dos anos 80 em releitura ousada que remete ao som de Rita Lee naquela década e que ganha sentido todo especial quando, duas faixas adiante, Caixa de Música tira do baú  relíquia da lavra pop de Rita com Roberto de Carvalho, Menino, lançada pela dupla num álbum, Bom Bom (1983), ouvido com certa má vontade pela crítica da época. A gravação de Gebara repagina a música com modernidade sem trair o espírito moleque da obra de Rita. A ficha técnica de Menino, aliás, alinha Kassin no baixo, Marlon Sette no trombone, Stephane San Juan na bateria, Zé Carlos Bigorna nas flautas e o próprio Donatinho nos teclados, ressaltando o fato de Caixa de Música ter a escultura de alguns dos músicos mais requisitados pela nata da música brasileira, nomes recorrentes nas fichas técnicas dos discos mais elogiados dos últimos tempos.

Em qualquer tempo ou lugar, a bossa atemporal e heterodoxa de Marcos Valle é sinônimo de gosto refinado. Da obra do compositor, Gebara revive – por  sugestão de Sérgio Martins, o antenado diretor do selo Lab 344 – Tapa no Real (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle), literal lado B de um LP da fase mais pop do artista, Marcos Valle (1983). Ofuscada pelo sucesso da faixa Estrelar, Tapa no Real é lado B com jeito de lado A. Os teclados de Donatinho reverenciam o suingue do próprio Marcos Valle ao mesmo tempo em que produzem ecos do som do grupo Azymuth e da bossa de João Donato.

Fã do pop produzido no Brasil dos anos 80, inclusive o de sua geração, Gebara cruza estilos e ousa com sucesso releitura bossa-novista de Os Outros (Leoni), balada lançada pelo Kid Abelha no segundo álbum do grupo, Educação Sentimental (1985). Sugestão de Rodrigo Penna, DJ e amigo de Gebara, Os Outros renasce em sofisticado registro cool que valoriza os versos escritos pelo papa pop Leoni sob ótica feminina. O clima é de bossa vintage, com toque jazzy do trompete de Arimatéia e o violão luxuoso de Ricardo Silveira. Na faixa, Donatinho troca seus habituais teclados por um piano preciso.

Finda a bossa vintage, Caixa de Música entra na roda do samba mais tradicional sem perder a pose e o estilo. Na cadência bonita do cavaquinho de Nilze Carvalho, Gebara revive um samba pouco conhecido de Dolores Duran (1930 – 1959), Tome Continha de Você, parceria de Dolores com Edson Borges. Nilze também pilota o bandolim da faixa, uma das mais orgânicas de Caixa de Música. A levada é de samba tradicional, mas a leveza do canto de Renata Gebara incorpora também um balanço que evoca o suingue e a suavidade de Dóris Monteiro, a cantora que lançou em 1955 Tome Continha de Você, outra preciosa sugestão de Rodrigo Penna.

Com coerência, Renata Gebara também toma suas liberdades estéticas na seara internacional. Se adiciona suave molho latino a Stormy Weather (Harold Arlen e Ted Koehler) o standard de 1933 que a memória afetiva da cantora sintoniza em suntuosa gravação orquestral de Etta James, a intérprete explicita a abrangência de sua cultura musical ao reviver Walking on a Dream (Nick Littlemore, Jonathan Sloan e Luke Steele) – tema que batizou em 2008 o álbum de estreia do duo australiano Empire of the Sun – com referências ao som do grupo inglês The Style Council e ao r & b norte-americano dos anos 90.

Por fim, com a mesma ousadia estilística que pauta as dez faixas de Caixa de Música, Gebara desconstrói a base disco-house de Já É (Lulu Santos) – sucesso de Lulu Santos em seu álbum Bugalu (2003) – em releitura chique e cool que destaca o vibrafone de Guga Stroeter. O arranjo de Alexandre Castilho (fiel tradutor das boas ideias de Gebara) e Reno Duarte ameniza o tom eletrônico original para que a cantora possa valorizar os versos da letra urgente e reflexiva. Detalhe luxuoso: o baterista Stephane San Juan larga as baquetas para pontuar a faixa com comentários em francês, feitos com liberdade.

Disco feito com foco bem ajustado, Caixa de Música abre um leque de possibilidades para Renata Gebara na diversificada cena brasileira, tendo cacife para atravessar as fronteiras nacionais com sua pegada contemporânea. Afinada com seu estilo e com seu tempo, Renata Gebara entra na roda com todo o charme e toda a bossa do mundo.

Por Mauro Ferreira

2011

Imagem

Banda:

Donatinho – direção musical e teclados.

Caneca – Guitarra.

Alberto Continentino – baixo.

Thiaguinho Silva – teclados.

Diogo – trompete.

SERVIÇO
 
– 16 e 30 de janeiro – quartas – Show Renata Gebara – 2 apresentações
Horário: 20:30 h
Ingresso: R$ 30,00
Duração: 60 min
Classificação 18 anos
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: