Hoje Show de lançamento de CD de Lê Coelho e os Urubus Malandros, conheça mais:

Imagem

Após lançar seu terceiro disco com a Banda de Argila, o compositor paulistano Lê Coelho iniciou um novo trabalho a partir de diversos sambas que compôs ao longo de mais de dez anos de carreira.

A identificação com compositores que assim como ele não são exclusivamente sambistas, mas ampliaram o universo genuíno do samba, como por exemplo, Tom Zé em Estudando o Samba e Itamar Assumpção relendo Ataulfo Alves, foi uma de suas motivações e inspirações.

A partir desse contexto começou a reunir um grupo de músicos que permitisse uma instrumentação e musicalidade versátil, capaz de transitar entre o samba tradicional e arranjos mais modernos e ousados.

Os primeiros músicos convidados a formar a base dos Urubus Malandros foram Ivan Gomes no Contrabaixo (integrante da orquestra tropical de contrabaixos de Tibô Delor), Rodrigo Monteiro na Guitarra, Violão e Cavaco (arranjador e orquestrador do Projeto Trilheiros em parceria com a Universidade Estadual de Campinas), Felipe Guimarães no Violão de 7 (pesquisador de samba e choro responsável pelo primeiro encontro de Choro da cidade de Campinas) e Kiko Sebrian (uma grata revelação entre os jovens bateristas da música brasileira, que já acompanhou Vinícius Dorin).

O nome do grupo surgiu de uma brincadeira com o nome de Lê Coelho e a citação do choro “Urubu Malandro” de João de Barro.

Músicas surgiram durante o processo, o grupo começou a se apresentar, e em 2011 o repertório do disco estava maduro e doze músicas foram selecionadas pra entrarem no estúdio.

Mais de dez músicos entre instrumentistas e intérpretes foram convidados e participaram das gravações, entre eles Ully Costa, vocalista do Sandália de Prata, Vânia Bastos e Zeca Baleiro.

O mesmo cuidado com os arranjos e seleção do repertório foi dado à produção do disco, assinada pelo próprio grupo.

Durante a produção, três outros músicos se juntaram ao grupo, os percussionistas Ivan Banho (integrante do Movimento Sincopado e que recentemente acompanhou Altamiro Carrilho) e Pedro Prado (baterista do cantor e compositor Di Melo e integrante do Quarteto Solto) e o saxofonista e flautista Fernando Sagawa (integrante do Coletivo Orquestral do maestro Mario Campos) completam a formação atual que agora se prepara para os shows de lançamento do disco.

Imagem

NÃO TRAGO NOVIDADES, MAS ACEITO MAIS UM COPO!

“Entre retratos da poesia urbana, com algumas doses de ironia, lirismo e bom humor postos à mesa de um bar qualquer, percorrendo as horas de uma madrugada sem tempo, nasce UM SAMBA A MAIS.

Tão singelo e despretensioso, quanto autêntico e revelador. Como toda boa prosa de amigos em instantes afins.

De todos os motivos necessários para que esse encontro ocorra, um sentimento comum move corpos, mentes, almas e línguas até o local e hora não combinados, deixando ali de lado os afazeres cansados da vida apressada, previsível e efêmera. Na fome de música que mantém sóbrio, na sede de poesia que é vício, resiste a paixão pela canção popular.

LÊ COELHO, puxou o assunto, OS URUBUS MALANDROS rebateram os argumentos, Zeca Baleiro, Vânia Bastos e Ully Costa sentaram-se à mesa e entraram na discussão. Então pegue uma cadeira, chegue mais perto, prove um petisco e encha o copo, que essa conversa vai longe.”

 

Serviço:

26 de setembro – quarta – Show Lê Coelho e os Urubus Malandros – 1 apresentação

Local: Teatro Café Pequeno, Rua Ataulfo de Paiva 269, Leblon Tel 2294-4480

Horário: 20:00
Ingressos: R$ 20,00
Duração 60 minutos
Classificação 18 anos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: