Os Inocentes

Livro que inspirou Bertolucci em “Os Sonhadores” ganha adaptação teatral nos palcos do Rio

“Os Inocentes”, mais novo projeto teatral do Brecha Coletivo (mesmo grupo de artistas responsável por uma intervenção misteriosa no último Fashion Rio), tem como ponto de partida o livro “The Holly Innocents”, de Gilbert Adair, que em 2003 transformou-se em roteiro cinematográfico a pedido de Bernardo Bertolucci (que pouco tempo depois levaria às telas “Os Sonhadores”, longa indicado ao Goya de melhor filme europeu no mesmo ano e uma das maiores bilheterias de 2003 em todo o mundo). Escrito pelos autores contemporâneos Rodrigo Nogueira (indicado aos últimos prêmios Shell e APTR por “Play”) e Julia Spadaccini, com supervisão artística do ator Fernando Eiras (prêmios Shell e APTR de melhor ator por “In on It”) e direção de César Augusto (Cia dos Atores) e Fernanda Félix, “Os Inocentes” é resultado de  intercâmbio iniciado em residência realizada há dois anos na sede da Cia Dos Atores.

O espetáculo parece se passar em tempo e local suspensos, mas não se espante se, ao ver o espetáculo, Paris e o ano de 1968 vierem à sua cabeça. “Os Inocentes”, “The Holly Innocents” e “Os Sonhadores” tem muita coisa em comum. As três obras evocam, direta ou indiretamente, os tumultuados cenários políticos do maio francês como pano de fundo para a história de três jovens que têm em comum a paixão por cinema. Em uma verdadeira homenagem à sétima arte (incluindo citações que deliciarão os cinéfilos de plantão) o triângulo vivido no espetáculo por Lisa Fávero, Michel Blois e Patrick Sampaio cria suas próprias regras, vive experiências com suas emoções e sexualidade, e se arrisca em jogos psicológicos cada vez mais perigosos.

A produção de “Os Inocentes” parece também acender a possibilidade de termos ao alcance das mãos, e dos olhos, a fonte literária das obras de Bertolucci e do Brecha Coletivo. Ainda inédito no Brasil e sem nome em sua versão brasileira, o romance do autor escocês já está em fase de negociação de direitos, e pode ser publicado ainda esse ano com tradução de Luiza Vilella, supervisionada por Paulo Henriques Britto.

“Os Inocentes” estreou dia 2 de julho, no Espaço Sesc, em Copacabana, onde ficou em cartaz até o dia 25 do mesmo mês, em 14 apresentações, com enorme sucesso de público, obtendo a lotação do teatro com dias de antecedência em todas as sessões. Foram, ainda, realizadas duas sessões extras com lotação esgotada.

A peça reestreará no Teatro Glaucio Gill, dia 11 de agosto, dentro da programação da ocupação Câmbio, onde fica em cartaz até o dia 2 de setembro. O projeto foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz.

Serviço:

Espetáculo: “Os Inocentes”

Local: Teatro Glaucio Gill

Telefone: 2332-7902

Endereço: Praça Cardeal Arcoverde, s/nº, Copacabana

Texto: Julia Spadaccini e Rodrigo Nogueira

Direção: César Augusto e Fernanda Félix

Elenco: Brecha Coletivo (Lisa Fávero, Michel Blois e Patrick Sampaio)

Temporada: 11 de agosto a 2 de setembro de 2010

Dias e Horários: Quartas e quintas às 20h

Duração: 80 minutos

Capacidade: 121 pessoas

Classificação indicativa: 16 anos

Preços: R$30,00 – inteira | R$ 15,00 – estudantes, idosos e classe artística | R$12,00 – lista amiga

————
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: